quinta-feira, 2 de abril de 2015

140. Divergências

Mel: Amor. - o abracei e ele rodeou seus braços à minha volta. - Que está se passando nessa sua cabecinha? 

Luan: Eu não sei, ao mesmo tempo que eu vejo a minha irmã como sendo a minha bonequinha, por outro vejo aquilo que eu já sabia que iria acontecer. 

Mel: Você está bravo com isso? - indaguei receosa.

Luan: Não Mel, eu estou... - fez uma pausa e sorriu grande - Estou muito feliz por ter um afilhado, porque né, se ela não escolhe a gente eu dou uma surra nela. - rimos. 

Mel: Sério que você está feliz? 

Luan: Muito. - me deu um selinho - Só não sei como demonstrar. Acho que fui pego de surpresa sabe? Nunca imaginei que fosse assim tão rápido, mas ela cresceu demais e só me orgulha a cada dia. 

Mel: Então acho bom você ir até ela e lhe dizer isso porque a coitada ficou achando que você não gostou da novidade. 

Luan: Bobinha. Depois vou lá, agora quero uma coisa. - se aproximou e tomou meus lábios num beijo envolvente e quente. 


Amarildo: Só na pegação, esse meu filho não muda. - falou na porta da sacada e páramos o beijo rindo envergonhados. 

Luan: Oh pai, estragou meu momento. - ironizou e Amarildo riu. 

Amarildo: Está tudo bem filho?

Luan: Bem até demais pai. Vou lá falar com a nossa menina. - bateu no ombro de Amarildo e saiu. 

Amarildo: Ainda bem que ele parece ter aceitado. 

Mel: Ele aceitou sim sogro, o Luan já está maduro o suficiente para entender que todo o mundo tem o seu momento. 


Voltámos para a sala de jantar e Luan estava abraçado a Bruna num canto conversando ao pé de ouvido. Mari falava animada com Gabriel e minha avó que olhava as crianças. 


Bruna: Cunha já sabe que vai ser madrinha de casamento e do bebé né? 

Mel: Claro que sei, até porque o seu irmão não deixaria ser de outro jeito. - ri sabendo que Luan já tinha enchido o saco da Bruna. 

Bruna: Pois é. - riu e Luan nos fuzilou. - Queria ter gémeos também.

Luan: Hey, um de cada vez. - falou sério nos fazendo rir. 


Alice fez birra para dormir em casa de Bruna, mas por ser início de semana era impossível. Voltámos pra casa tarde e os gémeos dormiam. Alice estava quase também e foi só trocar a roupa deles e os deitar. Assim que entrei no quarto Luan acendia velas por ali. Parei observando tudo. 


Mel: Pra quê tudo isso amor? A luz não foi abaixo não. 

Luan: Amor não fala. Estou preparando o nosso cenário de amor. ´

Mel: Hum, romântico demais esse meu marido. - zoei e ele estufou o peito se gabando. 

Luan: Acabei. - acendeu a última vela e veio até mim tirando a camisa, gatinhou na cama até chegar a mim e me puxou pela nuca para ele mordendo meu lábio. 


Abri meus lábios para o beijar e ele desceu sua boca para a minha mandíbula me fazendo grunhir por me deixar na vontade.  Tirou meu top e meu soutien me satisfazendo. Peça atrás de peça ficámos nus e nos encaixamos perfeitamente terminando a noite da melhor maneira possível. 


Lúcia: Estás atrasada minha neta? - perguntou me vendo comer rápido. 

Mel: Um pouco vó, perdi a hora. Alice termina de comer. - falei para ela que enrolava os cereais. 

Alice: Papai vai com a gente? 

Mel: Vai filha. - foi só falar nele que o seu cheiro adentrou pela cozinha. - Bom dia amor. - lhe dei um selinho. 

Luan: Bom dia minhas vidas. 

Lúcia: Meu neto come, a Melissa está atrasada mas não podem sair sem comer. - falou firme e Luan assentiu. 

Mel: Vou tomar minha pílula e já volto. 

Luan: Deixa que eu pego amor. - se levantou rápido e saiu não me deixando o impedir. - Aqui está. - me deu o comprimido. 

Mel: Cê sabe qual é a caixa? 

Luan: Claro que sei ué, toma amor. - me deu água e tomei a pílula. Alice já tinha terminado e só faltava Luan terminar o seu pão. 


Hoje Alice não fez birra e ainda bem, mas ela que não se acostumasse a ter o Luan a levá-la sempre, porque isso não aconteceria. Ao final da tarde quando ela voltou da escola de música, Luan foi a casa dos pais com gurizinho. 


Mel: Filha, mamãe vai na cozinha falar com a Neide, presta atenção nos seus irmãos por favor? - pedi enquanto ela assistia tv no sofá da sala e os gémeos brincavam ali perto. 

Alice: Tá. - falou apenas isso e saí para resolver as compras do mês com a Neide e minha avó. 


Assim que cheguei na sala uma gritaria enorme se fazia e vi os gémeos batendo um no outro e Alice relaxada sem fazer nada. Perdi a paciência e embora me custasse ser má, hoje teria de o ser. 


Mel: Breno pára de puxar o cabelo da Nic. - lhe bati na mãozinha e ele parou. - E você menina pare de chutar o seu irmão. - bati na mãozinha da Nic também e eles pararam. - Que aconteceu hein? 

Breno: Ela quia meu carro. 

Nic: E ele atilou minha boneca pa li. - apontou onde estava a Barbie e neguei suspirando fundo. 

Mel: Cada um tem os seus brinquedos, não têm que discutir por isso. E vocês têm de partilhar, Breno deixa a tua irmã brincar com os teus carros, vocês podem brincar os dois com os brinquedos um do outro, são irmãos e têm  de se dar bem. Peçam desculpa. - ordenei e eles pediram se abraçando em seguida. - Agora nós menina Alice. - me levantei brava e ela arregalou os olhos surpresa. 

Alice: Não fiz nada mamãe. - se defendeu rapidamente. 

Mel: Por isso mesmo, não fez nada. - me enervei - Seus irmãos estavam à bulha e você não fez nada, o que eu te pedi pra fazer antes de ir na cozinha? - elevei minha voz e ela se encolheu. 

Alice: Olhar por eles. - falou baixo. 

Mel: Exatamente e o que você fez? - ela não respondeu e vi o seu biquinho crescer querendo chorar. - Engole esse choro. 

Alice: Você é má, eu quero meu pai. - gritou chorando. 

Mel: Eu sou má? - perguntei incrédula. 

Alice: É, cê não gosta de mim, só quer saber desses dois aí. - acenou para os gémeos - Nem me deixa mais dormir com vocês, meu pai que gosta de mim de verdade. - continuou gritando e a peguei pelo braço para que se levantasse e lhe dei dois tapas na bunda a fazendo gritar ainda mais. - Eu não gosto de você. Me deixa em paz. 

Mel: Vai agora para o teu quarto e só sai de lá quando eu mandar tá me ouvindo? E pára de birra porque se não te dou mais tapas, não brinca comigo Alice. - disse entre dentes e ela me olhou assustada correndo para o andar de cima. 


Me sentei no sofá e apoiei minhas mãos na cabeça respirando fundo. Ela tinha passado das marcas. Mesmo eu odiando bater em criança ela mereceu. Quando Luan voltasse teríamos de ter uma conversa bem séria, porque não poderia continuar assim. Na hora do jantar ele chegou e depois de deixar Gurizinho no jardim voltou para o meu lado. 


Luan: Onde está a Alicinha? - perguntou meigo. 

Mel: De castigo no quarto. 

Luan: Ué, de castigo porquê? 

Mel: Porque pedi para cuidar dos gémeos e ela deixou eles baterem um no outro e nem me chamou sequer.

Luan: Isso não é motivo. - falou incrédulo e ri nervosa.

Mel: Claro que não, mas depois de a repreender tive de ouvir da boca dela que eu sou má e que não gosto dela, dá para acreditar? - indaguei e ele semicerrou os olhos se levantando. - Isso, vai lá passar a mão na cabeça dela. - disse sarcástica. 

Luan: Não esquenta. Ela é criança não entende as coisas. 

Mel: Claro que entende. - disse irritada - Depois vamos ter uma conversa nós dois. 

Luan: Como cê quiser. - falou sem dar importância e subiu as escadas rápido. 


Minha avó colocou a mesa ali na sala de jantar mesmo e levei os gémeos para lá lhes dando a sopa. Ouvi risinhos e logo Luan apareceu com Alice no colo que sorria mas assim que me viu a olhando desfez a cara alegre para uma embirrada. Luan serviu o jantar dela e me ajudou a dar a sopa nos pequenos. 


Alice: Papai depois quero te mostrar o que aprendi na escola de música. 

Luan: Depois vamos para o estúdio e cê me mostra. - acariciou o seu rosto. 

Alice: Aham, quero subir no palco com o senhor logo logo. 

Mel: Se continuar sendo insolente não vai subir a palco nenhum. - me estressei e ela abaixou o olhar para a comida. Luan apenas me olhou e quando ia dizer algo Alice o interrompeu. 

Alice: Papai quando você viaja? 

Luan: Depois de amanhã amor.

Mel: Volta quando? 

Luan: Terça feira. - suspirou pesado e apertei sua mão. Os gémeos já tinham comido e nos servi a mim, Luan e minha avó. 

Alice: Papai posso ir com o senhor? 

Mel: Que ideia é essa? Tá doida Alice? Você tem escola e tem de cumprir com isso não dá pra andar viajando não. 

Alice: Só no fim de semana, posso papai? - indagou a Luan e percebi a manha dela de cortar relações comigo. 

Mel: Não, sábado tem catequese. 

Luan: Por um dia ninguém morre amor. 

Mel: Se você continuar fazendo o que ela quer daqui uns dias ela nem pra escola vai querer ir mais. 

Luan: Alice deixa mais pra frente para quando o show for aqui em Sampa tá bom? - falou meigo e Alice concordou. 


Ajudei minha avó a levantar a mesa e a lavar a loiça. Em seguida adormeci os gémeos e quando desci Luan saía com Alice do estúdio. 


Luan: Dá um beijo e vai dormir. - se abaixou e Alice o abraçou o enchendo de beijos. Quando se virou deu de caras comigo e desviou o olhar passando por mim sem me cumprimentar. - Alice? - chamou-a e ela se virou - Não vai desejar boa noite pra sua mãe?

Alice: Boa noite. - falou seca e correu para não ser repreendida. 

Mel: Meu Deus, me dá paciência. - resmunguei só pra mim e me sentei no sofá. 

Luan: Podemos conversar então? 

Mel: Aham.

Luan: Eu não acho que castigar uma criança seja o caminho mais certo, ela errou, tudo bem, mas todo o mundo erra. 

Mel: Claro. - disse irónica - E a sua filha vai se tornar naquilo quer você foi um dia, errava e pedia desculpas achando que tudo se resolveria. 

Luan: Não acho que ela vai ser assim, mas também não quero que você lhe bata. - ri nervoso com isso e o olhei incrédula. 

Mel: Ela teve o que mereceu, você quando era criança também levou tapas na bunda com certeza e isso não te fez mal algum, antes pelo contrário, te fez aprender. Ela me falou torto e feio, foi mal educada e isso eu não admito. Ela tem mimo a mais mas chegou a hora de perder esse mimo e se tornar numa criança independente, sem necessitar da gente para tudo. - esbracejei e Luan negou com a cabeça. 

Luan: Você tá dizendo que a educação que a gente dá não está funcionando, é isso? 

Mel: Não, porque de mim ela não tem o mimo que você lhe dá, e com os gémeos vai pelo mesmo caminho. 

Luan: Ah, então o errado sou eu que quero matar a saudade dos meus filhos e passar o maior tempo possível com eles, eu que não sei educar né Melissa? E você que fica em casa com eles todos os dias, acha que educa certo é? 

Mel: Eu não disse isso, apenas que mimo a mais faz mal. 

Luan: Claro que faz, vamos tratá-los sem carinho e amor então? Aí cê vai criar delinquentes que nãosserão nada na vida e odiarão os pais. - se levantou respirando fundo. 

Mel: Nada a ver, eles merecem amor na medida certa, não exageradamente. 

Luan: Ninguém exagera, apenas educámos como nosso coração manda. 

Mel: Talvez seja hora de colocar a razão na frente. 

Luan: Não dá pra conversar com você Melissa, eu não vou mudar meu jeito com meus filhos. - falou ríspido e subiu para o quarto. 


Me custava a acreditar como ele deixou que Alice me tratasse daquela forma e ainda assim deixou passar sem nenhuma repreensão. Ele não estava percebendo a situação e o fato de estar longe a maioria do tempo o fazia querer amar de uma vez toda os meninos. Eu até entendia o lado dele mas não precisava de ser tão exagerado e não repreender. Meus pais sempre me ensinaram que "Quem dá pão, dá criação" e se para eles aprenderem teriam de levar uns tapas eu não via mal algum. 


Subi para o quarto e depois de tomar um banho e vestir o pijama voltei para a cama. Meu celular tocou e vi ser David. Luan assistia tv e mexia no celular, talvez falando com as fãs. 


Mel: Oi David. - atendi empolgada pois já não nos falávamos há algum tempo. 

David: Oi Melzinha, tenho uma super novidade para você.

Mel: Não me diga que vai ser papai de novo? - ri e Luan bufou aumentando o volume da tv. 

David: Também. 

Mel: Sério? Ai que ótimo, já é o quarto hein? Falta pouco para os seis que você quer. 

David: Está quase. 

Mel: Parabéns viu. Fico super feliz por você. 

David: Mas tenho outra novidade. 

Mel: Conta. 

David: Você sabe que estou terminando a carreira daqui a uns três anos né? 

Mel: É. - disse triste. 

David: E você sabe que eu tenho o desejo de voltar e terminar no Benfica, acontece que conversei com o Presidente e ainda esta semana volto para o nosso Glorioso. - falou animado me deixando sem reação. - Mel? 

Mel: Não acredito. - falei surpresa.  - Meu Deus, tudo que eu queria era te ver jogando pelo Benfica e agora você voltou. Mal posso esperar para te ver. 

David: Você vem me ver a Portugal? 

Mel: Quando é seu jogo de regresso?

David: Domingo já.

Mel: Então me espera em Portugal no fim de semana. - Luan se sentou e tirou o celular do meu ouvido e o desligou me deixando boquiaberta o encarando. 



Boa noite. Luan aceitou de boa para surpresa vossa ahahah Alice fez asneira e apanhou por isso, acham que a Mel fez bem? Luan que não gostou muito né? E até brigaram. O que será que vai acontecer? David ligou e Mel parece que vai para Portugal, mas Luan não gostou muito disso e desligou o celular dela. O que vocês chutam que acontecerá? Comentem bastante, beijocas ! <3

10 comentários:

  1. Concordo com a Mel, mas acho que bater não ajuda muito, minha mãe pelo menos só conversava, e nunca fiz mal criação com ela! A Alice está ficando muito mimada e com ciúmes dos irmãos!! Achei certo a Mel ter posto ela de castigo!! Luan é meio lerdo por isso que ainda não viu que mimo de mais atrapalha!!! Kkk!! Mais ficar com raiva dá Mel também não né?? Oxi!! Luan não gostou muito dessa novidade do David, tudo isso só porque ele quer outro filho!! Desligou o celular da Mel porque não quer que ela vá para Portugal!! Eitaa Luan ficou estressado!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahaha é lerdinho mesmo ahah Luan parece querer competir com o David em questão de filho kkkkk

      Eliminar
  2. Achei certo oq a Mel fez, pq tipo a Alice da muitooo minada pelo Rafa...Cris do super curiosa pra ver oq vai aconteceer serio...acho engraçado ver o Rafa nevorsoo serio..contt bjookaas

    ResponderEliminar
  3. É O SEGUINTE: EU tô com vontade de dar umas palmadas nessa Alice, que menina chataaaaaaaaaaa! Luan não vê isso? Tadinha da Mel, ela é mãe!! ela tem que educar sim, Luan ta sendo egoista demais, eu acho que eu ficaria maluca com isso kkkk Como minha mãe diz '' se nessa idade ta fazendo essas coisas, quando crescer vai estar dando na cara '' kkk Espero que o Luan ouça a Mel e perceba que o errado é ele. DAVID NO BENFICA, onw *-----* Espero que a Mel vá mesmo e o Luan aprenda a viver um tempo com a Alice sem a Mel, pra ver como é dificil criar uma criança. Continua amiiiga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, Alice está arisca demais ahah Luan que não vê o que ela faz quando está viajando. Mas adorei a sua ideia amiga, obrigado viu? ahah

      Eliminar
  4. Melissa está coberta de razão. Alice está muito mimada e mereceu umas palmadas sim. A mãe passa mais tempo com os filhos suportando birras e bagunças, nada mais certo do que ter esse direito. Palmadas não matam ninguém. E a obrigação do Luan era repreender a filha, pois se ficar passando a mão na cabeça, ela vai crescer e achar que pode fazer o que quer.
    Acho que o Luan ficou com um pouco de inveja por saber que David será pai outra vez. Mas ele sabe muito bem que Melissa ama o David e esse era um momento que ela esperou por anos, ver o retorno de seu ídolo a seu time de futebol.
    Melissa deve sim ir a Portugal vê-lo jogar!
    Luan tá muito chatinho. rs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente, mas o Luan parece não querer ver :/ Será que ela vai? Ou ele vai pedir para que ela fique? hum ... ahahah

      Eliminar
  5. A Mel ainda é muito paciente, só que ela não deve se estressar muito com isso porque geralmente as mães tem fama de má mesmo, e principalmente nessa fase dos filhos. O que é que tem que a Mel vá a Portugal? Luan tem que deixar dessas frescuras, é um momento muito importante pro David

    ass: Pri

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será que ele vai impedir dela ir? Beijos Pri

      Eliminar