quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

52. Amor de recordação

No fim de semana como disse a Luan fui para casa dos seus pais. Passaria os dois dias lá. Estava na piscina apanhando sol com Bruna quando D. Mari veio conversar com a gente.


Mari: Mel, desculpa a pergunta, mas você está preocupada com alguma coisa?

Mel: Na-aão Mari, está tudo bem, apenas saudades do Rafa.

Mari: Oh minha filha você tem de se acostumar, dói né? Mas ele está feliz e volta pra gente. Logo mais a gente vai tirar férias e vai dar pra ficar com ele um mês inteiro.

Mel: É, benditas férias. – Disse passiva porque com certeza não passaria com eles.

Bruna: Cunha vou pra balada com o Rafael mais logo, quer vir com a gente?

Mel: Não Bru, não quero ficar de vela e além do mais prefiro ficar aqui.

Bruna: Cê que sabe.


Bruna já tinha ido para a balada e eu estava vestindo o meu pijama que seria uma blusa de Rafa, sempre que dormia lá esse era meu pijama. Decidi ficar ali mesmo no quarto vendo tv.


Amarildo: Minha filha. – Batia na porta e mandei entrar. – Você não quer descer pra ficar com a gente assistindo filme?

Mel: Obrigado pelo convite Amarildo, mas eu prefiro ficar aqui mesmo. Me desculpem.

Amarildo: Nada Mel, mas você me parece muito pensativa. Está com problema? – A minha cara deveria estar mesmo má pois passei o dia ouvindo perguntas acerca do meu estado.

Mel: Estou bem, obrigado pela preocupação. Só gostaria de ficar no quarto do Rafa, me sinto mais próxima dele. – no fundo era verdade, sentir o seu cheiro, as suas coisas, mas também não queria descer e ficar pensando no mal que faria a Rafa e consequentemente áquela família que se tinha tornado minha.

Amarildo: Como você preferir Mel. Qualquer coisa estamos lá em baixo. – assenti e quando ele fechou a porta decidi observar de perto cada detalhe daquele quarto. Rafa era bem bagunceiro mas D. Marizete tratava logo de arrumar tudo num jeito que só ela tinha.


 Tinha fotos desde criança até agora, e na mesinha de cabeceira dele permanecia uma foto nossa em Paris. Fiquei olhando aquela foto e decidi postar no instagram. A Denise não podia fazer nada, até terça eu era namorada de Luan, depois disso logo se veria. 


“Eu passei anos da minha vida pensando que vivia. Era mais uma enganada neste mundo. Só fui descobrir o que de fato era viver quando te amei e você me amou com a mesma intensidade. O nosso amor é “além dessa vida” e eu serei sua eternamente, assim como você será meu. Te amo @luansantana, morro de saudade sua ♥ “


Continuei observando e não se passou muito tempo e meu celular tocou. Corri pra cama onde o deixei e vi o nome de Luan estampado com uma foto dele.


Mel: Alô meu amor. – incrível como a ligação dele era tudo que precisava naquela hora.

Luan: Mel da minha vida, o que a senhora anda aprontando no meu quarto hein? – Brincou e pela primeira vez naqueles dias consegui rir. – Eu sou seu eternamente meu amor, não duvide disso nunca.

Mel: Não ando aprontando nada, apenas estou cá matando a maldita da saudade.

Luan: Dá resultado?

Mel: Pior que não. – rimos e logo ficamos sérios ouvindo a respiração um do outro. Como poderia ficar sem esses momentos? Como poderia abdicar de tudo isto? Me culpava eternamente por ter sido tão burra. As lágrimas ameaçavam aparecer.

Luan: Amor? Estive vendo os dias que vou tirar para as férias e vai dar pra ficar de boa um mês. Estava pensando em lugares pra gente ir. Você quer frio ou calor?

Mel: Amor o que você preferir. – Eu de qualquer maneira não vou, pensei para mim.

Luan: Você não me parece empolgada para as nossas primeiras férias. Você vai estar ocupada é isso?

Mel: Não Rafa, vou estar livre nesse período também, eu apenas estou cansada, passei o dia na piscina com a Bruna e seus pais.

Luan: Hum, ela está aí com você?

Mel: Não, ela saiu com o Rafael pra balada. Me chamou mas preferi ficar aqui.

Luan: Acho bom mesmo, minha muié não sai sem mim. – ri da babaquice dele. – Eu te amo imensamente meu amor.

Mel: Eu muito mais Rafa. Volta logo pra mim, para os meus braços, tô precisando demais de você.

Luan: Vou voltar, mais dois dias e a gente se ama Melzinha.


Desligamos e fiquei encarando o teto do seu quarto. Eu não saberia que motivos usaria para pôr fim ao que não tem término, eu não sabia, mas imaginava a dor que sentiria quando o visse me virar costas. Será que ele vai se revoltar? Decidi não pensar muito nisso, e peguei no seu caderno de composições que estava ali no quarto dele e numa caneta, escrevi um texto onde expressava tudo que estava sentindo. Eu sabia que mais tarde ou mais cedo a Denise seria desmascarada e eu e Luan faríamos as pazes, mas não podia correr o risco dela nos magoar, principalmente a Luan. Me sentia uma frouxa por tudo que estava fazendo. Mas não havia volta a dar.
O domingo passou correndo e a segunda igual, parecia que quanto eu mais queria que demorasse ele corria. Não dormia bem desde sexta-feira. Terça-feira chegou e quando acordei me deparei com a melhor visão que poderia ter. Luan dormia ao meu lado feito anjo. Como não trabalharia naquele dia por opção minha, fiquei admirando ele dormir. Meu celular apitou e já sabia quem era, Denise.


“É hoje. Estou super ansiosa para ver o meu amorzinho chorando. Ahah Aproveite estas últimas horas porque depois ele é meu. Não pense em me passar a perna, eu estou sempre um passo á frente.”


Ela não necessitava de me lembrar, aquele dia estava sendo pior que um dia de chuva, que eu odiava. Ele dormia tão sereno que decidi me arrumar e vestir uma roupa pra ficar em casa mesmo. Fui rumo á cozinha e preparei um café delicioso pra gente na cama. Quando cheguei no quarto ele passava o braço no meu lugar.


Mel: Já acordou Rafa. – Ele imediatamente abriu os olhos e me olhou sorrindo.

Luan: Bom dia flor do dia. – me chamou com a mão e quando pousei o tabuleiro corri para os braços dele. Luan tratou de me abraçar bem forte afagando meus cabelos contra si. – Senti tanta saudade.

Mel: Eu também. – minha voz não saiu normal e sem que controlasse algumas lágrimas se escaparam.

Luan: Cê tá chorando princesa? – me olhou e limpou meu rosto com seus dedos gordinhos. – Não chora muié, seu amor chegou e é todo seu. – falou brincando e o abracei novamente. Seria dos últimos abraços que daríamos e isso me assustava demais.

Mel: Vamos comer. – me sentei entre suas pernas e puxei o tabuleiro pra gente. Comemos entre brincadeiras e Luan me contava a semana e as peripécias dos shows, nada que não soubesse pelos fã clubes ou ele mesmo que me contou, mas não me cansaria de ouvir vezes sem conta. A sua voz era melodia para meus ouvidos e poderia passar o resto da minha vida assim, entre os seus braços, ouvindo a sua voz. – Amor canta pra mim? – Pedi o fazendo se admirar com meu pedido. Ele assentiu prontamente e começou a cantar “Cadê aquela garota”.

Luan: Cê tá de TPM amorzinho? Cê só chora muié.

Mel: Nada não, apenas me emociono vendo você cantar e o quanto sou sortuda em te ouvir sempre que quero.

Luan: Cê tá carente meu amor. Mas eu sei como acabar com essa carência. – riu safado em meu ouvido e o acompanhei.

Mel: Mais tarde a gente resolve isso amor. Agora vá se arrumar que eu vou fazer o almoço.

Luan: Nem dei conta da hora passar. A gente está junto e o tempo voa.

Mel: Quem dera eternizar todos os momentos com você. – Ele se levantou e atirou beijo antes de entrar no banheiro. Arrumei a cama e levei o tabuleiro pra cozinha.


Terminámos o almoço e Rafa me ajudou a lavar e limpar o que sujamos. As horas estavam se passando e mais tarde ou mais cedo eu precisava abrir o jogo. Mas antes eu queria matar minha saudade e ficar com a recordação de um dos melhores momentos de amor da minha vida.


Mel: Amor? – disse manhosa e Rafa me olhou de lado mordendo o lábio. – Não me olha assim que eu não respondo por mim.

Luan: Quem disse que era pra você responder. – começou me puxando pela cintura pra me sentar em seu colo de frente pra ele. – É só pra você sentir e aproveitar meu amor.

Mel: Cê sabe sempre do que eu preciso. – falei ofegante enquanto ele começava explorando meu pescoço.

Luan: Por isso a gente se completa. Agora me beija. – Nos beijamos ardentemente e Luan se levantou me levando para o quarto.



 Melissa anda pensativa demais acerca de tudo isso, será que ela vai suportar a dor de perder o amor da sua vida? O dia chegou, o que será que vai acontecer nas poucas horas que têm juntos?
Comentem bastante amores ! Beijos

6 comentários:

  1. Não, não eles não podem terminar, eu não vou aguentar, pelamor de Deus, não faz isso comigo, faz o Luan pegar o celular da Mel e ver as mensagens e falar com a polícia, sei lá mais não faz isso!!!
    :'(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amanhã vocês saberão o que acontecerá! Mas não me abandonem por favor :b

      Eliminar
  2. Ai pq tem que ser assim coitadinho do casal ja to vendo a sofrencia do outro capítulo vou até preparar meu emocional.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ver se bate certo Keila ahah mas se prepara !

      Eliminar
  3. Fazer o que, não é? Já que ela vai terminar com ele, só resta-lhe aproveitar os últimos momentos. :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será que vão terminar mesmo? Amanhã vocês saberão ahah

      Eliminar